Usa Flag / English Version Bandeira do Brasil / Versão em Português
CURRENT MOON
Lua atual

MESSIER e Messier A

Cratera MESSIER   - Dimensões: 12 Km X 8 Km.   Profundidade: 1,3 Km. Coordenadas -  Lat: 1.9o S, Long: 47.6o E.  

Cratera Messier A  - Dimensões: 13 Km X 11 Km. Profundidade: 1.5 Km. Coordenadas -  Lat: 2.0o S, Long: 46.8o E

A cratera MESSIER foi "batizada" em homenagem a Charles Messier, astrônomo e caçador de cometas do Séc XVIII, nascido na França (1730 - 1817). Descobriu 16 cometas e editou um catálogo de "objetos de céu profundo" em 1771 (conhecido como Catálogo Messier), originalmente com os 103 objetos mais brilhantes do céu noturno, visto por ele do hemisfério norte.

A dupla de crateras de impacto MESSIER e Messier A formam um alvo muito interessante !

                          

                           Foto: MESSIER e Messier A fotografadas pela Missão Apollo 11 - NASA.

São crateras jovens, que se mantiveram quase nas suas formas originais, ou seja, nas formas da época de quando foram criadas, pois sofreram pouco com a degradadação causada por desmoronamentos de suas paredes internas, novos impactos ou movimentos sísmicos.

São difícies de encontrar na Lua, crateras que mantiveram sua forma original. Isso porque as crateras jovens e grandes, sofreram muito com a queda de escombros e deslizamentos de material das paredes internas, que ocorriam logo após os impactos que as criaram. Esses efeitos colaterais provenientes dos impactos criadores, na maioria das vezes, apagavam completamente as paredes e borda da cratera de impacto original.

Mas, MESSIER e Messier A reteram, quase inalterada, a sua forma original. Em outras palavras, elas são "puras". Por esta razão, as formações dessas crateras merecem um estudo mais detalhado. 

Uma coisa interessante sobre essa dupla é que elas quase nunca repetem a mesma visão ao telescópio, devido ao fenômeno de libração (movimento de “balanceio” da Lua, que proporciona a visão de uma pequena parte de sua face oculta, na região de suas bordas).

As crateras MESSIER e Messie A possuem forma elíptica, com o maior eixo de MESSIER estendendo-se ao longo da direção de seu impacto inicial.

Já Messier A tem seu eixo maior perpendicular ao eixo maior de MESSIER. É um arranjo realmente muito estranho. As duas crateras não são coaxiais !

                                 

À primeira vista, a cratera MESSIER parece ter a forma de uma elipse perfeita. Porém, num estudo com imagens mais próximas feitas pela missão Apollo 11, MESSIER mostra-se mais largo na extremidade leste. 

Existe uma fina e longa faixa de material derretido marcada no piso estreito interior (ao longo do eixo maior) de MESSIER, causada pelo impacto que a criou. Estudos apontam que a faixa não é constituída de lava basáltica, pois MESSIER é muito mais jovem do que a época que ocorreram os fluxos de lava.

                                                               

                                                               FotoCratera MESSIER - Apollo 11 - NASA.

Mesmo em imagens da Missão Apollo não há nenhum sinal de material proveniente de desmoronamento das paredes internas no chão de seu piso. Também, as encostas íngremes de Messier permanecem intactas. É uma formação que surpreendentemente manteve seu caráter primitivo. 

A cratera Messier A, por outro lado, é uma formação muito complexaJá foi muito defendido que Messier A seria uma sobreposição de duas ou até três crateras de diferentes idades. Mas, as imagens da Missão Apollo, mostram outros exemplos de proporções menores, desse estranho tipo de cratera.

Enfim, parece certo que, Messier A é o resultado de um impacto único, porém num ângulo baixo

                                                     

                                                     FotoCratera Messier A - Apollo 11 - NASA.

Um exemplo desse tipo estranho de formação de cratera, seria a pequena cratera secundária Cyrillus A, localizada na parede interna da cratera Cyrillus, onde o corpo que gerou o impacto de sua criação, bateu forte na inclinação do terreno.

                                

Existe o consenso entre os cientistas de que as crateras MESSIER e Messier A foram resultantes dos impactos de dois corpos distintosambos com cerca de 500m de diâmetroatingindo a superfície com pelo menos 5 graus de inclinação

As crateras Messier estão entre os alvos interessantes, que possuem formações de características estranhas na superfície da Lua, visíveis através de telescópios amadores !

So2

Blog "Sky and Observers" - dezembro ...
Blog "Sky and Observers" - dezembro / 2019
Olá pessoal, Neste mês (dezembro / 2019) estão publicados no Blog "Sky and Observers" os seguintes assuntos: O Almanaque Astronômico Brasileiro de 2020! Nota: Link para download gratuito: ... Leia mais

Olá pessoal, Neste mês (dezembro / 2019) estão publicados no Blog ... Leia mais
02/12/2019
D

UM OLHAR REAL EM DIREÇÃO AO ...
UM OLHAR REAL EM DIREÇÃO AO UNIVERSO - por Nelson Travnik.
ASTRONOMIA UM OLHAR REAL EM DIREÇÃO AO UNIVERSO por Nelson Travnik Nesta segunda-feira, 2, astrônomos de todo País, estarão comemorando o Dia Nacional da Astronomia, o Dia do Astrônomo. A grata ... Leia mais

ASTRONOMIA UM OLHAR REAL EM DIREÇÃO AO UNIVERSO por Nelson Travnik Nesta ... Leia mais
28/11/2019
Bo

Boletim Observe! - dezembro / 2019
Boletim Observe! - dezembro / 2019
Nobres colegas: O Boletim Observe! do mês de dezembro de 2019 está disponível no endereço eletrônico mencionado a seguir: http://www.geocities.ws/costeira1/neoa/observe.pdf Leia a edição atual ... Leia mais

Nobres colegas: O Boletim Observe! do mês de dezembro de 2019 está disponível ... Leia mais
28/11/2019
Nasa_logo

Revista Brasileira de Astronomia - ...
Revista Brasileira de Astronomia - Artigo de Nelson Travnik.
Artigo de Nelson Travnik publicado na Revista Brasileira de ASTRONOMIA - Ano 1 / Numero 4 / out - dez 2019 (produzida pela Sociedade Astronômica Brasileira), sobre a participação brasileira no Projeto LION:

Artigo de Nelson Travnik publicado na Revista Brasileira de ASTRONOMIA - Ano 1 / Numero 4 / out - ... Leia mais
28/11/2019